Deputado é assassinado no Afeganistão

Um homem assassinou o deputado província afegã de Tahhar Sayed Sadeq após invadir sua casa, informaram, neste sábado, dia 1º, autoridades locais. De acordo com o subcomandante da polícia local, Ghulam Hazarat, Sadeq era um político respeitado na região em que atuava e apoiava o governo central afegão, respaldado pelos Estados Unidos. Antes da queda do Taleban, no fim de 2001, Sadeq era um comandante de médio escalão da milícia liderada pelo senhor da guerra e ex-primeiro-ministro afegão Gulbuddin Hekmatyar, atualmente acusado de "terrorismo" pelos Estados Unidos. Explosão Enquanto isso, a explosão de uma bomba de beira de estrada feriu cinco soldados americanos a bordo de um comboio militar na montanhosa província de Kunar, no leste afegão. De acordo com o comando militar dos Estados Unidos, os soldados foram socorridos. Não há detalhes sobre suas condições de saúde. Em Kandahar, no sul do Afeganistão, um homem-bomba promoveu um ataque contra um outro comboio militar com soldados afegãos e estrangeiros. Além do militante suicida, o ataque não causou mais nenhuma vítima, informaram autoridades locais. Num telefonema à Associated Press, Mohammed Hanif, que costuma identificar-se como porta-voz da milícia fundamentalista islâmica Taleban, reivindicou em nome do grupo os ataques em Kunar e Kandahar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.