Deputado renuncia após escândalo sexual nos EUA

Entre insultos da plateia, que o chamava de "pervertido", o deputado americano Anthony Weiner cedeu às pressões dos políticos poderosos do Partido Democrata e renunciou ontem.

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2011 | 00h00

Nas últimas duas semanas, Weiner tentou continuar como um dos representantes na Câmara dos Deputados dos eleitores de Nova York, enquanto surgiam novas provas de que ele trocou mensagens e fotos picantes com mulheres de diversos pontos dos EUA. Casado, ele chegou a se valer do suposto apoio de sua mulher, Huma Abedin, e de seu eleitorado como argumento para manter-se no cargo.

"Estou aqui para pedir desculpas pelos erros pessoais que cometi e pelo constrangimento que causei", afirmou Weiner em um centro comunitário do bairro do Brooklyn, onde lançara sua primeira campanha política, em 1991. "Infelizmente, a distração que eu criei tornou impossível (a continuidade como deputado federal)", completou. Ele insinuou que pretende concorrer novamente à Câmara.

No último dia 27, uma fotografia que enviara pelo Twitter a uma estudante do Estado de Washington foi postada em um blog conservador. Ele vestia uma cueca cinza. Na época, ele alegou ter tido vítima de um hacker. Outras fotos mandadas a mulheres desmentiram seu argumento. Nelas, Weiner destacava seu peitoral desnudo.

Nos cálculos do partido democrata, o escândalo de Weiner se tornaria munição fácil nas mãos dos republicanos durante a eleição presidencial e legislativa de 2012.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.