Orlin Wagner/AP
Orlin Wagner/AP

Deputado republicano diz que não deixará candidatura ao Senado

Todd Akin está sendo bastante criticado por comentários sobre 'estupro legítimo' e gravidez

AE, Agência Estado

22 de agosto de 2012 | 09h41

JEFFERSON CITY, MISSOURI - O deputado Todd Akin, que está sendo bastante criticado por seus comentários sobre "estupro legítimo" e gravidez disse nesta quarta-feira que está na campanha pelo Senado para ficar, mesmo após confirmar que o candidato à vice-presidência pelo Partido Republicano, Paul Ryan, pediu pessoalmente que renuncie. Akin insistiu que não vai abandonar sua candidatura à uma vaga no Senado pelo Estado do Missouri, afirmando que "isso não é questão de ego".

Veja também:

linkRomney pede renúncia de candidato republicano ao Senado

linkRepublicanos dão 'gelo' em candidato ao Senado por fala sobre aborto

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

O candidato à presidência, Mitt Romney, e seu partido temem que os comentários do colega republicano possam ameaçar a tentativa de obter o controle do Congresso após as eleições de novembro. Akin já se desculpou diversas vezes por ter dito em uma entrevista na televisão que o corpo feminino pode evitar gravidez em casos de "estupro legítimo."

Akin disse na manhã desta quarta-feira, na emissora ABC, que "não é certo que os chefes do partido passem por cima" dos eleitores do Missouri.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAeleiçãopolêmica

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.