EFE/SHAWN THEW
EFE/SHAWN THEW

Atirador abre fogo contra parlamentares republicanos em Virgínia; deputado é ferido

Parlamentar que estava no local relata ter ouvido cerca de 50 tiros; Trump afirma que agressor não resistiu aos ferimentos e morreu

Cláudia Trevisan, correspondente / Washington, O Estado de S.Paulo

14 de junho de 2017 | 09h20
Atualizado 14 de junho de 2017 | 14h50

WASHINGTON - Um atirador abriu fogo nesta quarta-feira, 14, contra parlamentares republicanos que jogavam beisebol em um campo aberto de Alexandria, Virgínia. O deputado Steve Scalise e dois policiais ficaram feridos. O parlamentar Rand Paul disse à rede CNN que ouviu cerca de 50 tiros. 

Ao menos duas outras pessoas foram atingidas, segundo o deputado Mo Brooks, que participava do jogo. Ele afirmou à CNN que o agressor era um homem branco e portava um fuzil semi-automático.

O agressor foi identificado como James T. Hodgkinson, de 66 anos, indicaram os meios de comunicação americanos citando fontes policiais. Ele morava em Belleville, Illinois. O presidente dos EUA, Donald Trump, informou em um pronunciamento que Hodgkinson não resistiu aos ferimentos e morreu.

Em sua conta no Facebook, o atirador acusava Trump de ser "um traidor" e expressava apoio ao ex-candidato democrata à presidência Bernie Sanders. Hodgkinson utilizou um fuzil de assalto M-4 e um revólver na ação, de acordo com autoridades.

Caos

Brooks descreveu a cena no local como caótica e que os jogadores tentavam se proteger. Ele também afirmou que membros da equipe de segurança trocaram tiros com o agressor. Ele não teria dito nada antes de disparar.

O parlamentar contou que socorreu uma das vítimas usando seu cinto para fazer um torniquete na tentativa de estancar o sangramento do ferimento em uma das pernas. "Minha adrenalina estava nas alturas", disse ele. "Não é fácil lidar com a situação quando se vê pessoas sendo baleadas e você não tem uma arma." O Estado de Virgínia, onde fica Alexandria, tem uma das legislações mais tolerantes em relação à posse de armas nos EUA. 

Brooks disse que o atirador carregava muita munição e poderia ter cometido um “massacre” se os parlamentares não tivessem proteção dos seguranças.

O deputado Jeff Flake afirmou que os disparos duraram cerca de 10 minutos, até que um dos seguranças do Congresso conseguiu atingir o atirador. Rand Paul explicou que “ninguém teria sobrevivido sem a polícia do Congresso”. Segundo ele, os republicanos praticam beisebol no mesmo campo há seis anos. 

Segundo Paul, os republicanos praticam beisebol no mesmo ano campo há seis anos. Os parlamentares treinavam para um jogo de beisebol contra democratas marcado para a quinta-feira, um evento beneficente que arrecadou cerca de US$ 600 mil neste ano.

Diversos deputados relataram a emissoras de televisão uma cena em que todos buscavam proteção, enquanto os policiais do Congresso tentavam deter o atirador. 

Joseph Miscavige, que estava no local no momento do incidente, disse que viu as vítimas serem levadas para hospitais em ambulâncias. Segundo ele, os tiros teriam sido disparados por volta das 7h20 (locais).

O Departamento de Polícia de Alexandria confirmou que está investigando o caso e que um número ainda não específico de vítimas foi transportada para hospitais da região.

Casa Branca

Donald Trump disse que ele e o vice-presidente, Mike Pence, estão "profundamente tristes" pela "tragédia". "Nossos pensamentos e orações estão com os membros do Congresso, seus funcionários, a Polícia do Capitólio, os primeiros a responderem ao chamado, e todos os outros afetados."

O presidente cancelou a programação desta quarta-feira em razão do ataque em Virgínia. Ele tinha previsto visitar na parte da tarde o Departamento de Trabalho para fazer um discurso sobre uma iniciativa de formação profissional e assinar uma ordem executiva, mas decidiu cancelar o evento, o único da agenda.

Scalise, descrito por ele mesmo como um líder conservador, representa o Primeiro Distrito de Louisiana. "O republicano Steve Scalise de Louisiana, um verdadeiro amigo e patriota, foi gravemente ferido, mas vai se recuperar. Nossos pensamentos e orações estão com ele."

De acordo com nota divulgada pela assessoria de Scalise, o parlamentar foi atingido no quadril e passa por uma cirurgia. "Sua condição é estável", diz o texto. Antes da operação, ele conversou por telefone com sua mulher. / com NYT, AP, REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.