Deputados acusam Scotland Yard de fracassar na investigação das escutas

Relatório de comitê parlamentar aponta que não houve 'vontade' para superar falta de cooperação

Efe

20 de julho de 2011 | 10h50

LONDRES - Um relatório de um comitê parlamentar britânico acusa nesta quarta-feira, 20, a Polícia Metropolitana de Londres (Scotland Yard) de ter colecionado "fracassos" na primeira investigação sobre as escutas telefônicas ilegais do dominical "News of the World".

 

O relatório, produzido pelo Comitê de Interior da Câmara dos Comuns, assinala que não houve "vontade" das forças da ordem para superar a falta de cooperação da companhia News International no caso dos grampos.

 

Os deputados criticam particularmente as "tentativas deliberadas" do News International - ao qual pertencia o tabloide - para "frustrar" a investigação, que começou depois que o escândalo veio à tona pela primeira vez, em 2006.

 

No entanto, a investigação foi dada por concluída em 2009, embora em janeiro a Scotland Yard tenha iniciado uma nova.

 

Além disso, o comitê pede ao governo que forneça mais financiamento à Polícia que investiga o escândalo, já que qualquer atraso em sua conclusão adiará a investigação judicial disposta pelo primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, que só pode ser iniciada uma vez concluída a policial.

 

O "News of the World" realizou durante anos, aparentemente de forma sistemática, uma espionagem de telefones celulares de celebridades, jornalistas e também pessoas desconhecidas.

 

Também nesta quarta-feira, o homem que tentou agredir o magnata da imprensa Rupert Murdoch na terça, durante seu comparecimento ao Parlamento britânico, atirando-lhe espuma branca, foi acusado de perturbação da ordem pública, informou a Scotland Yard.

 

Jonathan Mai-Bowles, de 26 anos, cômico conhecido como Jonnie Marbles, foi posto em liberdade após pagar fiança, mas deverá apresentar-se nesta sexta-feira à Corte de Magistrados de Westminster (Londres).

 

Leia mais:

lista ENTENDA: O escândalo dos grampos na Inglaterra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.