Deputados colombianos seqüestrados pelas Farc pedem asilo a Chávez

Os 12 deputados regionais da Colômbia seqüestrados há cerca de quatro anos pelas Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) pediram ao presidente venezuelano, Hugo Chávez, asilo político para recuperar a liberdade. O pedido aparece em um vídeo gravado pelos reféns que as Farc entregaram no sábado à rede Caracol de comunicação em Cali, na região sudoeste da Colômbia, onde ocorreu o seqüestro dos dirigentes políticos."Peço ao governo do presidente Hugo Chávez asilo político e que, desta forma, possa recuperar minha liberdade, frente ao desinteresse do governo colombiano", declara no vídeo o deputado Juan Narváez, que com outros 11 legisladores foi seqüestrado em abril de 2002."O que podemos fazer é encaminhar e reforçar as gestões para que a proposta apresentada hoje (sábado) seja levada ao governo venezuelano", disse Fabiola Perdomo, porta-voz das famílias dos seqüestradosdisse Perdomo é mulher de Narváez, presidente da Assembléia Legislativa do departamento Vale do Cauca, que tem a cidade de Cali como capital, na época do seqüestro.Os deputados foram seqüestrados por cerca de 50 guerrilheiros que fingiram estar promovendo uma suposta operação antiterrorista. Os legisladores foram levados em um ônibus até as montanhas próximas a Cali. Poucos dias depois, a organização informou que os deputados entravam em uma lista de troca por rebeldes presos.As Farc mantêm seqüestrados 22 políticos, entre eles a ex-candidata presidencial independente Ingrid Betancourt. Também são mantidos reféns pelo movimento guerrilheiro 34 policiais e três cidadãos americanos. A Igreja Católica colombiana pediu no sábado às Farc que libertem imediatamente todos os seqüestrados pelo movimento guerrilheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.