Deputados condenam "invasão" do México pelos EUA

A Câmara dos deputados do México condenou nesta quinta-feira (hora local) "a violação do território mexicano por parte do pessoal americano que está construindo uma cerca metálica entre as cidades de Douglas (Arizona/EUA) e Agua Prieta (Sonora/México)"."Estes trabalhadores são comandados pelo diretor do Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos, Michael Chertoff", afirma o documento aprovado pelo plenário da Câmara.Na quarta-feira, a imprensa mexicana publicou uma fotografia em que Chertoff aparece soldando um painel do muro, aparentemente do lado mexicano.Os deputados pediram que o Congresso e a Secretaria de Relações Exteriores exijam "que não se viole a soberania mexicana", e pediram que o governo federal proteste, condenando "a invasão do território".Resposta do EUAOs Estados Unidos negaram que seu diretor de Segurança Interior, Michael Chertoff, tenha entrado em território mexicano durante uma visita à cerca na fronteira."Chertoff não esteve em Água Prieta (México) e todas as suas atividades na terça-feira ocorreram do lado americano da fronteira", afirmou em comunicado o embaixador dos EUA no México, Antonio Garza.Garza afirma que os Estados Unidos trabalham para garantir que "os planos e a construção da cerca não interfiram na fronteira".Representantes mexicanos e americanos da Comissão Internacional de Limites e Águas (CILA) "visitarão muito em breve o lugar para avaliar exatamente onde ocorreu o incidente", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.