Deputados da Baixa Califórnia pedem boicote aos EUA

Legisladores locais e federais, líderes sindicais e de opinião, dirigentes partidários e empresariais do estado mexicano da Baixa Califórnia Sul pediram à população que se juntem ao boicote que imigrantes nos Estados Unidos no dia 1o de maio. "Apresentamos uma iniciativa de acordo econômico para solidarizarmos com nossos irmãos latinos e nos unirmos ao boicote como uma medida de rechaçar a política migratória dos Estados Unidos", disse a presidente do Congresso do estado, Rosa Delia Cota. Por sua vez, os dirigentes locais dos partidos de Ação Nacional (PAN), Revolucionário Institucional (PRI) e da Revolução Democrática (PRD), e outras organizações políticas minoritárias, também convocaram sua militância para se unir ao boicote. "Eu iria mais além, convocaria aos imigrantes dos Estados Unidos a que façam um boicote permanente e deixem de consumir produtos norte-americanos, somente assim pressionaremos o Senado dos Estados Unidos a mudar sua política migratória", explicou Lino Martínez, dirigente do Partido Alternativa. Os empresários dessa entidade também expressaram seu apoio ao protesto. "Como empresário posso garantir que o boicote terá sucesso, já que as grandes empresas transnacionais dos Estados Unidos pressionarão o Senado daquele país para que mude sua política migratória", afirmou Germán Alonso, dirigente da Confederação patronal da Baixa Califórnia sul.

Agencia Estado,

30 Abril 2006 | 05h06

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.