Derrotado, Sharon não renuncia e promete mudar plano

O primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, disse que vai elaborar um novo plano de retirada israelense de parte dos territórios palestinos ocupados, depois que sua proposta de abandono total da Faixa de Gaza e remoção parcial dos israelenses da Cisjordânia foi repudiado em referendo de seu partido, o Likud. ?Quero deixar bem calro que haverá outro plano?, disse Sharon numa reunião de parlamentares do Likud. Sharon propôs seu plano de ?desligamento? dos palestinos, removendo algumas colônias de israelenses dos territórios palestinos, como a melhor maneira de garantir a segurança de Israel e de aliviar a pressão internacional sobre o país. Mas o Likud, majoritariamente pró-assentamentos, rejeitou a idéia com 60% dos votos, no que o jornal Mariv classificou de ?derrota esmagadora? do premier. Embora o referendo não tenha peso legal, especulava-se que uma rejeição do plano pelo partido que sustenta o governo levasse à renúncia de Sharon, o que não ocorreu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.