Derrubadas barricadas de protestos em Hong Kong

Apoiados por uma ordem judicial, trabalhadores removeram algumas barricadas nesta terça-feira de um local de protestos em Hong Kong, onde ativistas pró-democracia estão acampados por quase dois meses em um impasse com as autoridades. Os trabalhadores cortaram laços de plástico que seguravam barricadas de metal em uma área fora do prédio da Citic Tower e colocaram os materiais em um caminhão.

Estadão Conteúdo

18 de novembro de 2014 | 16h41

Manifestantes liderados por estudantes, que têm protestado por mais democracia na ex-colônia britânica não resistiram. Alguns já haviam mudado suas tendas para outras áreas na zona de protestos antes do início da operação, que foi observada por dezenas de oficiais de justiça, policiais e jornalistas.

Os manifestantes se opõem à exigência do governo chinês que um painel de elites próximas a Pequim selecionem os candidatos para a eleição de 2017 do cargo mais alto do Executivo de Hong Kong. As autoridades chinesas classificaram as manifestações como ilegais e nem governo de local nem os líderes estudantis mostraram qualquer sinal de cooperação.

A remoção barricada aconteceu após o dono da Citic Tower, o conglomerado estatal chinês Citid, conseguir uma medida cautelar exigindo que os manifestantes interrompessem o bloqueio do acesso para carros e pedestres ao edifício. O prédio fica do outro lado da rua que abriga a sede do governo de Hong Kong, cercado pelos manifestantes.

Um tribunal também concedeu uma ordem separada a respeito de uma área em um segundo local de protesto no distrito de Mong Kok, que deve ser executada na quarta-feira. Ativistas também estão ocupando um terceiro local no distrito comercial de Causeway Bay, que não foi afetado por qualquer ordem judicial. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Honkg Kongprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.