Desabamento de túnel mata 9 no Japão

Blocos de concreto de trecho com até 60 metros de extensão, pesando cerca de 180 toneladas, caíram na pista e esmagaram veículos

OTSUKI, JAPÃO, O Estado de S.Paulo

03 de dezembro de 2012 | 02h00

Um desabamento ocorrido em um dos mais longos túneis do Japão deixou ao menos nove mortos na manhã de ontem (noite do sábado no Brasil), a cerca de 80 quilômetros de Tóquio. Até a noite de ontem, não era claro o número de desaparecidos, pois, além do veículo de onde foram retirados os corpos de cinco vítimas, carbonizados, ao menos um outro se incendiou e não se sabia quantos tinham sido soterrados.

Segundo as autoridades japonesas, um trecho da até 60 metros do Túnel Sasago, na Rodovia de Chou, em Yamaguchi, desabou por volta das 8 horas locais. Aproximadamente 150 painéis de concreto com 20 centímetros de espessura que compunham a estrutura do teto, pesando cerca de 180 toneladas, caíram na pista. As causas do incidente não haviam sido determinadas até ontem.

No início da operação de resgate, uma grossa cortina de fumaça, provocada por veículos em chamas, impedia a aproximação dos socorristas. As operações chegaram a ser suspensas em virtude do risco de novos desabamentos. "A densa fumaça que saía cobriu toda a montanha", disse Kiyoko Toyomura à agência de notícias Kyodo. Os bombeiros demoraram três horas para controlar os focos de incêndio dentro do túnel, que tem 4,7 quilômetros de extensão.

Sobreviventes relatavam ter escapado por pouco de escombros que caíam do teto e uma longa caminhada no escuro após terem abandonado seus veículos. O local do desabamento fica a mais de 1,5 quilômetro da saída mais próxima do túnel, construído em 1977.

Tomohiro Suzuki afirmou que demorou mais de uma hora para conseguir sair do local, acompanhado de sua mulher e seus dois filhos, de 6 e 9 anos. "Eu me perguntava quando o fogo nos alcançaria. Tentava, antes de tudo, salvar as minhas crianças", disse o japonês à agência Fiji.

"Eu ouvia vozes de pessoas pedindo socorro, mas o fogo estava muito intenso", disse uma sobrevivente à emissora NHK. Uma mulher de 28 anos afirmou que conseguiu escapar do micro-ônibus em que viajava, mas as outras cinco pessoas que a acompanhavam ficaram presas dentro do veículo.

A Central Japan Expressway, concessionária que administra a estrada onde ocorreu o desastre, afirmou que as condições do teto do túnel foram inspecionadas em setembro e outubro, mas nenhum problema foi encontrado. / AFP, EFE, NYT e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.