Desabamento em obra do metrô de Pequim soterra seis

Um buraco na obra do metrô de Pequim desabou, na última quarta-feira, 29, deixando seis operários soterrados. A empreiteira responsável pela construção escondeu o acidente e somente 12 horas depois do ocorrido os serviços de resgate só tiveram acesso ao local.O buraco tinha 20 metros de largura e 11 de profundidade e fazia parte do canteiro de obras da linha número dez que está sendo construída no noroeste da cidade para atender às Olimpíadas. Autoridades disseram que há poucas chances de encontrar sobreviventes. Responsabilidade Segundo informações do jornal China Daily, A China Railway 12th Bureau Group Co. que é responsável pela obra, não notificou os serviços de emergência como deveria. Ao invés disso, a empresa montou uma equipe de resgate própria. Os funcionários escalados para participar das buscas foram obrigados a desligar seus celulares e o portão do canteiro de obras foi trancado para evitar que a notícia chegasse à imprensa. Um operário imigrante vindo da província de Henan conseguiu escapar o cerco de sigilo e ligou para a policia de sua região.As autoridades de Pequim só foram avisadas do incidente às 17h (06h de quarta-feira em Brasília), quando policiais da província de Henan ligaram para a capital perguntando o que estava acontecendo, em resposta à denúncia feita pelo operário. Uma fonte anônima da agência de notícias China News Service disse que um corpo já foi retirado da cratera na noite de quinta-feira (manhã de quarta em Brasília). O trabalho de remoção da areia e óleo que caíram no buraco foi concluído ontem. Os encanamentos públicos próximos à área não foram afetados. A agência Xinhua disse que as famílias das vitimas já foram notificadas e estão a caminho de Pequim. As buscas continuam.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.