Desabrigados e acúmulo de lixo ainda são desafios para Japão um ano após tsunami

País lembra neste domingo um ano da tragédia que matou mais de 15 mil pessoas.

Ewerthon Tobace, BBC

11 de março de 2012 | 06h27

Neste domingo, os japoneses marcam o aniversário de um ano do terremoto e tsunami que atingiu o país, matando mais de 15 mil pessoas e deixando cerca de três mil desaparecidos.

As autoridades ainda se esforçam para lidar com as consequências do desastre - desde o alto número de desabrigados ao grande acúmulo de lixo. Muitos dos ex-moradores da região de Fukushima não sabem direito se poderão voltar um dia ao local.

O maior dos problemas é o número de famílias desabrigadas. Mais de 50 mil famílias continuam em moradias temporárias. Outro desafio é que os depósitos de lixo estão lotados, e o governo não consegue decidir o que fazer. São mais de 23 milhões de toneladas de entulho. Serão necessários mais dois anos para processar todo o lixo.

No dia 11 de março de 2011, a região nordeste do Japão foi sacudida por um terremoto de nove graus de intensidade. Logo depois, ondas de até 40 metros de altura varreram tudo que tinha pela frente.

Um ano depois, quase toda a infra-estrutura da região destruída já foi reconstruída. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.