Desaparecem documentos sobre Guantánamo na Alemanha

Documentos relevantes sobre o caso do ex-preso de Guantánamo Murat Kurnaz desapareceram dos arquivos dos serviços secretos alemães, informou o jornal Berliner Zeitung. Kurnaz, de 24 anos, foi detido no final de 2001 durante uma viagem ao Paquistão, acusado de ser terrorista, e solto em agosto de 2006. Ele nasceu e foi criado em Bremen, e sua família tem origem turca. O caso deixou em uma situação delicada o ministro alemão de Exterior, Frank-Walter Steinmeier.O periódico baseia suas informações em protocolos da última sessão da comissão parlamentar que investiga a suposta cooperação da Alemanha com irregularidades da CIA. A sessão foi no começo de fevereiro. Três agentes alemães que interrogaram a Kurnaz em Guantánamo, em outubro de 2002, prestaram depoimento. Os documentos desaparecidos são referentes aos interrogatórios prévios realizados pela CIA na ilha, e que supostamente provam a inocência de Kurnaz. Segundo as declarações citadas pelo jornal, um dos três agentes sinalizou que antes de viajar a Guantánamo havia lido os documentos citados. Quando perguntado onde estavam estes documentos agora, respondeu que não sabia. "O escritório foi transferido de Munique a Berlim, e por isso muitos documentos foram destruídos. Infelizmente não sabemos o que aconteceu com os documentos em questão", disse o agente. A deputado Petra Pau, membro da comissão, confirmou nesta terça-feira indiretamente as informações divulgadas pelo jornal, ao anunciar que a Comissão de Controle Parlamentar - um órgão parlamentar que delibera em segredo -, irá tratar do assunto em sua próxima reunião.Petra disse achar estranho que documentos relacionados à segurança da Nação, que poderiam comprovar "se alguém é terrorista ou não", tenham desaparecido. A comissão investiga também se o governo anterior, em que Frank-Walter Steinmeier era ministro de Exterior, fez tudo o que estava ao seu alcance para conseguir a liberdade de Kurnaz, quando supostamente houve uma oferta por parte dos Estados Unidos - oficial ou extra-oficial - de libertá-lo. Steinmeier comparecerá à comissão no dia 8 de março para prestar esclarecimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.