Desastre aéreo mata ministro mexicano

Mora era nº 2 do governo e um dos responsáveis pela luta aos cartéis; queda de helicóptero ocorre 3 anos após acidente matar antecessor

CIDADE DO MÉXICO, O Estado de S.Paulo

12 de novembro de 2011 | 03h03

José Blake Mora, ministro do Interior do México - segundo cargo mais importante na hierarquia do governo - e uma das principais figuras na guerra às drogas no país, morreu ontem na queda do helicóptero em que viajava. O anúncio foi feito pelo gabinete do presidente Felipe Calderón.

Em sua primeira declaração sobre o caso, o presidente disse que o mau tempo pode ter causado o acidente. A queda do helicóptero ocorreu exatamente três anos após um desastre aéreo matar o também ministro do Interior Juan Camilo Mouriño.

Ironicamente, a última mensagem de Mora no Twitter fazia referência a Mouriño. "Hoje lembramos Juan Camilo Mouriño, três anos depois de seu desaparecimento; um ser humano que trabalhou na construção de um México melhor."

Segundo o governo, Mora, de 45 anos, e outras sete pessoas - três assessores e quatro integrantes da tripulação - foram encontrados por socorristas sem vida dentro do helicóptero depois do acidente.

O ministro do Interior viajava da Cidade do México a Cuernavaca, 90 quilômetros ao sul da capital, onde participaria de um encontro do Judiciário. A aeronave - parte da frota do Estado-maior da presidência - caiu em Xochimilco, nas imediações da Cidade do México.

Mora tinha o título de secretário do governo, cargo equivalente ao de ministro do Interior. Homem forte da administração Calderón, ele centralizava a articulação política e chefiava a estratégia de segurança nacional.

Na prática, estava entre as autoridades que comandam a guerra contra os cartéis da droga, ao lado do presidente e do chefe das Forças Armadas.

"Neste momento, estamos avaliando todas as possíveis causas desse acidente tão trágico", declarou Alejandra Sota, a porta-voz da presidência mexicana. A possibilidade de Mora ter sido assassinado não foi descartada.

O local da queda do helicóptero é uma zona montanhosa e de densa vegetação, de acordo com as primeiras imagens das TVs mexicanas. Nelas, era possível identificar os destroços do helicóptero do ministro. Na queda, a cabine separou-se da cauda da aeronave.

Pulso firme. Entre os mexicanos, Mora havia se tornado a principal face da luta contra o narcotráfico do governo Calderón. Ele defendia que era preciso levar os combates "ao campo inimigo" e pregava que nenhuma acomodação com os cartéis era aceitável.

Mora visitava frequentemente zonas de guerra contra o tráfico, prometendo ajuda a autoridades locais sitiadas pelos grupos armados. "O crime organizado, implacável, recorre a atrocidades que nós não devemos nem podemos tolerar enquanto governo e enquanto sociedade", disse, após cem pessoas que tentavam entrar nos EUA pelo México serem assassinadas por traficantes.

Formado em Direito, Mora iniciou sua carreira como funcionário da Prefeitura de Tihuana nos anos 90.

Ele foi deputado federal pelo Partido Acción Nacional, o mesmo de Calderón, entre 2000 e 2003, e deputado estadual do Estado da Baixa Califórnia, entre 2004 e 2007. Em seguida, foi secretário de governo da mesma região, cargo que ocupou até julho de 2010, quando foi nomeado ministro do Interior. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.