Desastre causará impacto limitado ao PIB japonês--Banco Mundial

O desastre natural e a crise nuclear não devem exercer um impacto prolongado na economia do Japão, disse o economista-chefe do Banco Mundial, Justin Lin, nesta quarta-feira.

REUTERS

16 de março de 2011 | 16h03

Lin disse a jornalistas na Universidade de Johanesburgo que, com a reconstrução, o Japão poderá aumentar sua taxa de crescimento depois de seis meses.

"Certamente é um choque grande para a economia japonesa", afirmou Lin. "Eles terão alguma perda no PIB, mas, de acordo com nossas estimativas, ela não será tão grande. E também, com a reconstrução, eles podem aumentar a taxa de crescimento do país após seis meses."

Especialistas dizem que o Japão, a terceira maior economia do mundo, levará ao menos cinco anos para reconstruir as regiões destruídas pelo terremoto e pelo tsunami, a medida que precisará equilibrar a necessidade de reconstruir casas, estradas e redes de energia com o planejamento de infraestrutura à prova de desastres.

Com temores de que o desastre do Japão leve a uma desaceleração da economia global, investidores deixaram os ativos considerados de risco e o Japão nos últimos dias.

"Com relação à economia global, acredito que esse seja um choque único e no geral não terá impacto no longo prazo", acrescentou o economista do Banco Mundial.

(Reportagem de Stella Mapenzauswa)

Tudo o que sabemos sobre:
JAPAOPIBBANCOMUNDIAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.