Desativado pacote-bomba endereçado à Iberia

Um pacote-bomba endereçado à companhia aérea Iberia - semelhante aos enviados na sexta-feira à sua sede em Roma e no sábado à sua loja no Aeroporto de Milão - foi desativado nesta segunda-feira no Aeroporto Internacional de Fiumicino, nos arredores de Roma. Enquanto isso, uma carta-bomba foi entregue na sede da RAI (Rádio e Televisão Italiana) em Roma e se incendiou quando era manipulada por funcionários da emissora estatal. Ninguém ficou ferido. O pacote-bomba endereçado à Iberia é o quarto de uma série iniciada na última quinta-feira com um atentado frustrado contra a sucursal de Barcelona do jornal El País. Tanto no atentado de hoje quanto nos anteriores - contra Barcelona, Roma e Milão -, o explosivo estava escondido no interior de um livro. A bomba foi desativada pelos especialistas numa área reservada do Aeroporto de Fiumicino e encontrava-se dentro de um exemplar do livro "A vida cotidiana dos primeiros cristãos". A polícia ainda não informou o tipo nem a quantidade de explosivos contida no artefato. O livro teria sido enviado de Milão dentro de um pacote amarelo e foi descoberto na agência postal do aeroporto internacional situado nos arredores de Roma. A carta explosiva enviada de Milão a Barcelona e foi atribuída pela polícia espanhola a um grupo anticapitalista chamado 5Cs. O pacote enviado a Fiumicino também partiu de Milão.

Agencia Estado,

16 Dezembro 2002 | 13h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.