Descoberto plano para seqüestrar filho de Blair

Fontes da polícia britânica confirmaram nesta quarta-feira que sabiam de um suposto plano para seqüestrar o filho de cinco anos do primeiro-ministro britânico, Tony Blair. No entanto, a polícia disse não estar convencida de que os autores do suposto plano - que segundo o jornal britânico The Sun seriam um grupo que luta pelos direitos dos pais divorciados na Grã-Bretanha - teriam sequer condições de executar uma ação de seqüestro.Não houve tentativa alguma de seqüestro e ninguém foi preso por causa dos supostos planos, que teriam sido descobertos no curso da investigação de pessoas ligadas ao grupo Fathers 4 Justice (Pais por Justiça, em tradução livre). O grupo, no entanto, nega qualquer envolvimento no caso. ´Sem comentários´ A polícia se recusa a comentar o caso, e o governo britânico também não confirma nem nega a história. A reportagem do jornal The Sun diz que a idéia do grupo era manter o menino Leo Blair como refém por pouco tempo, apenas para chamar a atenção aos casos de pais que não conseguem ter acesso aos seus próprios filhos."Isso definitivamente não tem nada a ver com o grupo oficial", afirmou o fundador do Fathers 4 Justice, Matt O´Connor. "Nós trabalhamos pelo reencontro de pais e filhos, não por seus seqüestros. As pessoas sabem que nós somos a favor de ações diretas, pacíficas e com uma pitada de humor".O´Connor confirmou saber que, no mês passado, a polícia investigou algumas pessoas que já tinham se desligado do grupo que ele fundou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.