Descobertos na China ossos de homem com 25 mil anos

Arqueólogos chineses descobriram numa gruta dos arredores de Pequim ossos de um homem que viveu há 25 mil anos, segundo informações da agência Nova China. A ossada foi encontrada na localidade de Zhoukoudian, muito perto do local onde em 1929 foram descobertos os restos fossilizados do "Homem de Pequim", criatura humano-simiesca que viveu na mesma zona há mais de 500 mil anos e serviu para demonstrar a teoria da evolução do homem. "As primeiras análises fizeram-nos pensar que se tratava de ossos de Homo Sapiens. No entanto, investigações posteriores confirmaram que pertencem a um homem que viveu há 25 mil anos", explicou Wu Xinzhi, arqueólogo do Instituto de Paleontologia Vertebrada e Antropologia da Academia de Ciência da China. Os cientistas encontraram uma mandíbula com dentes e diversos ossos pertencentes aos ombros, pernas, braços, mãos e espinha dorsal de um ser humano adulto do sexo masculino. Além disso, desde que começaram as escavações na gruta de Tianyuan em 2001, único lugar do mundo onde há provas humanas de 500 mil a 600 mil anos, foram encontrados restos de 26 animais, sobretudo veados e ouriços-cacheiros. "O período compreendido entre 20 mil e 100 mil anos supõe uma época decisiva na evolução histórica do homem moderno, especialmente na zona ocidental da Ásia, pelo que os restos humanos pertencentes a este período têm um valor incalculável", afirmou Chen Yiyu, vice- presidente da Academia das Ciências da China. Até agora só foi escavada metade da gruta, o que leva os cientistas a presumirem que haverá ainda muitos restos humanos por descobrir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.