Descontrole do câmbio faz esgotar passagens aéreas

Uma moradora de Caracas ligou para uma agência de viagens para comprar uma passagem aérea para a Argentina em razão de uma emergência na família. A resposta: não havia lugar em nenhum voo de nenhuma companhia aérea até o segundo semestre do ano que vem. "Não há bilhetes aéreos para sair de Caracas até setembro de 2014", confirmou a agência. Os destinos mais procurados são Cuba, Miami, Colômbia, Equador e Espanha.

O Estado de S. Paulo,

13 de novembro de 2013 | 23h29

A espera por voos reflete a disparidade do valor do dólar no mercado legal e no paralelo, ilegal. De acordo com o câmbio oficial da Venezuela, US$ 1 vale 6,3 bolívares, a moeda local. Mas a escassez de dólares faz com que, no mercado negro, US$ 1 chegue a valer mais de 60 bolívares. Venezuelanos que vão ao Equador ou ao Peru, por exemplo, retiram U$$ 3 mil em dinheiro ou créditos em cartões internacionais. Pagam por isso 18,9 mil bolívares. Ao retornar, trocam esse mesmo valor no mercado ilegal por 180 mil bolívares, dez vezes mais. / LOS ANGELES TIMES

Mais conteúdo sobre:
VenezuelaNicolás Maduro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.