AFP PHOTO
AFP PHOTO

Alemanha planeja multar redes sociais que não removerem discursos de ódio

Descumprimento das regras pode resultar em multas de até 50 milhões de euros, segundo ministro

O Estado de S.Paulo

14 de março de 2017 | 12h41

BERLIM - O ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, apresentou nesta terça-feira,14, um projeto de lei que exige que empresas de mídia social, como o Facebook, ajam mais rapidamente para remover publicações caluniosas ou ameaças, sob a pena de receberem multas de até 50 milhões de euros.

"Esse (projeto de lei) estabelece normas vinculativas para o modo com o qual as operadoras de redes sociais lidam com queixas, e as obriga a deletar conteúdo criminoso", disse Maas, ministro pelo Partido Social Democrata da Alemanha.

O descumprimento das regras pode resultar em multas de até 50 milhões de euros contra a organização, acrescentou o ministro.

O país já adota uma das mais duras leis do mundo sobre discurso de ódio, que abrangem difamação, calúnias, incitação pública para atos criminosos e ameaças de violência, e busca atualizar suas regras em uma era de mídias sociais em rápida transformação e ataques frequentemente anônimos. / REUTERS

 

Tudo o que sabemos sobre:
BERLIMAlemanhaFacebook

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.