Desemprego e déficit são temas sensíveis

LOS ANGELES

Denise Chrispim Marin ENVIADA ESPECIAL / LOS ANGELE, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2010 | 00h00

A receptividade ao discurso da candidata republicana ao Senado no Estado da Califórnia, Carly Fiorina, acabou dividida quando ela tocou em pontos sensíveis ao eleitorado californiano, como o desemprego e o ajuste nas contas públicas.

O Estado é porta de entrada de imigrantes ilegais, tem uma taxa de desemprego de 12,4% - quase 3 pontos acima da média nacional -, e acumula um déficit fiscal de mais de US$ 20 bilhões.

Ao mencionar a questão fiscal, Fiorina criticou a expansão de gastos públicos tanto dos governos democratas quanto dos republicanos, como um sinal de que não pretende seguir com rigor a cartilha de seu partido. Mas, em linha com a agremiação, defendeu o corte de gastos públicos, em oposição à alternativa proposta por sua rival democrata, Barbara Boxer, de expansão da receita.

Barbara acusa Carly de, na presidência da Hewlett-Packard Corporation, ter rompido contratos com empresas terceirizadas americanas e fechado acordos com concorrentes da China, de forma a transferir empregos para aquele país. "Barbara Boxer é hipócrita. Ela recebe contribuições para sua campanha de empresas que exportam os empregos daqui", afirmou. "É a política de Barbara Boxer que transfere nossos empregos para outros Estados e outros países."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.