Desertores matam seis militares na Síria

Desertores do exército da Síria mataram seis militares das tropas governamentais em combates hoje, na região central do país tomada por rebeldes, informaram ativistas. Esse é o sinal mais recente de que o levante sírio está se transformando em guerra civil.

AE, Agência Estado

18 de dezembro de 2011 | 11h56

O Observatório Sírio para Direitos Humanos, uma entidade baseada no Reino Unido, informou que um oficial do exército estava entre os mortos na cidade de Qusair na província de Homs, próximo à fronteira com o Líbano.

"Três veículos blindados foram destruídos, e as pessoas que estavam dentro dele morreram ou ficaram feridas", disse um comunicado da entidade britânica, que utiliza uma rede de ativistas dentro da Síria como ponto de informação. A entidade informou ainda que os confrontos resultaram na destruição parcial de algumas residências.

Confrontos armados também foram relatados hoje em diversos vilarejos na região de Jabal al-Zawiya, próximo da fronteira com a Turquia, onde muitos desertores estariam operando. A Síria tem registrado uma forte escalada nos confrontos armados recentemente, o que aumenta a preocupação de que o país de 22 milhões de habitantes aos poucos vai deslizando em direção a uma guerra civil depois de nove meses de iniciados os levantes sociais contra o presidente sírio Bashar Assad.

A revolta síria começou em meados de março deste ano quando manifestantes inflados pelos levantes por todo o mundo árabe foram às ruas para exigir o fim do regime da família Assad que já dura mais de 40 anos. O regime respondeu com uma reação violenta que a Organização das Nações Unidas disse já ter matado pelo menos 5 mil pessoas. A Liga Árabe deu prazo até a próxima quarta-feira para que a Síria permita a entrada de observadores no País, senão levará o caso para o Conselho de Segurança da ONU para que tome uma ação para tentar acabar com a violenta reação aos opositores do regime sírio. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaconfrontosmortesdesertores

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.