Desertores que espalharam o terror são mortos na Rússia

Subiu para 10 o número de pessoas mortas por dois pára-quedistas russos que semearam o terror em cidades da região da Tartária, depois de desertarem de um quartel de Ulyanovsk, no sul do país. Os dois desertores, que portavam armas automáticas e munições, foram abatidos hoje pela polícia depois de uma intensa troca de tiros.Os dois militares, ambos de 20 anos, foram identificados como sendo o sargento Almaz Shageyev, de origem tártara, e o soldado Mikhail Sukhorukov, natural de Perm, região dos Montes Urais. Segundo a agência de notícias russa Itar-Tass, foi formada uma comissão, presidida pelo chefe dos pára-quedistas, general Gheorghi Shpak, para investigar o que já é considerado um dos episódios mais graves dos últimos tempos na corporação.Os dois militares abandonaram sem permissão o quartel - localizado a 25 quilômetros do centro industrial de Ulyanovsk - na noite de domingo para segunda-feira. De acordo com testemunhas, eles estavam embriagados. Uma vez fora do quartel, os dois desertores mataram a sangue frio quatro policiais e feriram outros dois com disparos de rifles Kalashnikov.Depois, seguindo o curso do Rio Volga, os militares chegaram à Tartária e assassinaram outros três agentes e dois civis. O cadáver de um terceiro civil foi encontrado mais tarde no porta-malas de um automóvel utilizado pelos desertores para fugir.Os militares foram mortos a tiros por membros de equipes especiais nos arredores da cidade de Buinsk. Segundo testemunhas um dos desertores pode ter cometido suicídio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.