Deslizamento causa pelo menos 23 mortes na China

Equipes de resgate encontraram mais 11 corpos neste sábado; 69 seguem desaparecidos

EFE,

21 de agosto de 2010 | 13h46

Pelo menos 23 pessoas morreram e outras 69 seguem desaparecidas no deslizamento de terra que atingiu uma localidade da província de Yunnan (sul da China) na quarta-feira, segundo informações publicadas neste sábado, 21, pela agência oficial Xinhua.

O número de vítimas foi atualizado pelas autoridades locais de Puladi, a localidade atingida - no distrito autônomo de Gongshan -, depois que as equipes de resgate encontraram 11 novos corpos nos trabalhos realizados neste sábado.

As equipes de socorro já haviam resgatado ontem outros seis corpos em meio ao barro, e os trabalhos de busca dos desaparecidos prosseguirão neste sábado, comunicaram as autoridades locais.

A maioria dos desaparecidos no desmoronamento, causado pelas intensas chuvas, são funcionários de uma mina de ferro na localidade de Puladi.

Segundo o porta-voz da equipe de salvamento, "pelo menos dez caminhões carregados com minério de ferro e 21 casas foram soterradas".

Na mesma localidade, outro deslizamento de terras no último dia 26 de junho causou a morte de 11 pessoas nas obras de construção de uma central hidroelétrica.

O país asiático vive sua pior monção em 12 anos, com mais de 3,4 mil mortos e desaparecidos desde o início da temporada em maio, com danos comparáveis aos produzidos pelas cheias dos rios Yang Tsé e Songhua em 1998, que causaram mais de quatro mil mortes e deixaram 140 milhões deslocados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.