Deslizamento de pedras no Egito já provocou 31 mortes

A polícia egípcia começou a retirar neste domingo os moradores de uma favela do Cairo onde um deslizamento de pedras ocorrido ontem deixou pelo menos 31 mortos e um número ainda desconhecido de pessoas presas sob os escombros. A retirada ocorre em meio a temores de que mais pedras rolem de uma instável encosta. A polícia também afastou os jornalistas da região da tragédia.Máquinas pesadas ainda precisavam remover as imensas rochas, algumas das quais do tamanho de um prédio, que rolaram pela encosta de Muqattam na manhã de ontem. Por enquanto, moradores e agentes do governo conduzem os trabalhos de resgate usando apenas as mãos e ferramentas rústicas. Um funcionário do governo local informou, sob condição de anonimato, que além dos 31 corpos foram retirados dos escombros até o momento 46 pessoas que foram enviadas a hospitais próximos. Informou também que ainda há um número desconhecido de pessoas presas sob as rochas.O governo informou que pretendia retirar todas as pessoas da área porque há temores de que mais pedras caiam sobre a favela de Manshiyet Nasr. Autoridades locais planejam ainda demolir casas da favela para que máquinas pesadas possam passar para remover as rochas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.