Reuters
Reuters

Deslizamento de terra em Mianmar deixa ao menos 100 mortos

Acidente ocorreu perto de mina de jade no nordeste do país; número de mortos pode aumentar porque há muitos desaparecidos 

O Estado de S. Paulo

22 de novembro de 2015 | 16h37

YANGON, MIANMAR — Um deslizamento de terra próximo a uma mina de jade no nordeste de Mianmar matou pelo menos 100 pessoas na madrugada deste domingo, 22.  De acordo com a imprensa local, a maior parte das vítimas é formada por trabalhadores da mina e cidadãos locais que escavavam um pedaço de terra abandonado pela empresa com esperança de encontrar alguma peça de jade restante. 

Pelo menos 100 corpos foram retirados do local do deslizamento. Os serviços de busca procuram por sobreviventes e a estimativa é de que muitas pessoas ainda estejam desaparecidas. 

O deslizamento aconteceu em Kachin, no Estado de Hpakant, uma das regiões que mais produzem jadeíta no mundo. O jornal estatal Global New Light de Mianmar informou que muitos mineiros estavam dormindo em cabanas quando o deslizamento de terra ocorreu.

O empresário Brang Seng, que trabalha com jadeíta, acompanhou a retirada dos corpos dos escombros para serem levados ao hospital. "Ouvi dizer que mais de 100 morreram. Em alguns casos, toda uma família", disse. 

Segundo o líder da comunidade, Lamai Gum Ja, as casas localizadas sobre a base da mina foram soterradas e mais de 100 pessoas estão desaparecidas. 

A indústria de extração de jade gerou cerca de US$ 31 bilhões no ano passado. Segundo a Global Witness, grupo que investiga desvios de recursos no país, grande parte desse lucro foi para indivíduos e empresas ligadas a ex-governantes militares. 

"As grandes empresas, muitas delas de propriedade de famílias de ex-generais, membros do exército, comparsas e barões da droga, estão fazendo dezenas ou centenas de milhões de dólares por ano por meio de sua pilhagem de Hpakant", disse Mike Davis, membro da Global Witness. "Seu legado para a população local é um terreno baldio onde dezenas de pessoas são enterradas vivas em deslizamentos de terra", completa. /NYT, REUTERS e EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Mianmardeslizamento de terramina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.