Deslizamento mata 31 pessoas em bairro pobre do Cairo

Pedras atingiram dezenas de casas e destruíram várias construções em Manshiyet Nasser, no leste da capital

ALAA SHAHINE E SAMER ELATRASH, REUTERS

06 de setembro de 2008 | 10h32

Trinta e uma pessoas morreram e 23 ficaram feridas quando um grande deslizamento atingiu um bairro pobre do Cairo neste sábado, atirando enormes pedras sobre dezenas de casas, informou a agência estatal Mena. As pedras destruíram várias construções em Manshiyet Nasser, no leste da capital egípcia e próximo ao platô Moqattam. Com suas casas coladas umas às outras e vielas estreitas, o bairro fica ao pé de um penhasco e ao lado de uma rodovia. A Mena disse que partes da área estavam sendo esvaziadas porque novas rachaduras foram vistas na face do penhasco. Dezenas de policiais e trabalhadores de resgate foram enviados ao local, auxiliados por ambulâncias e cães farejadores, mas os moradores se enfureceram contra o que julgaram ser uma resposta inadequada ao desastre. Centenas de moradores, chorando em desespero, juntaram-se ao redor do local isolado, gritando contra autoridades locais e dizendo que tinham parentes e amigos sob os escombros. Um edifício de seis andares foi reduzido a entulhos pelo deslizamento, disseram testemunhas. O bairro, com suas residências de tijolo vermelho à vista, é notadamente superlotado, com famílias pobres inteiras dormindo em casas de um só quarto. Os trabalhos de resgate progrediam lentamente. A Mena disse que autoridades haviam enviado ao local máquinas pesadas para remover os escombros. Enquanto isso, os moradores remexiam o local tentando encontrar do que restou de casas destruídas pertences como utensílios domésticos, pratos quebrados, louças, panelas, cobertores e até galinhas mortas. Cerca de 30 policiais da tropa de choque foram enviados ao local.  Texto atualizado às 11h47

Tudo o que sabemos sobre:
EGITODESLIZAMENTOMATA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.