Deslizamento no Tibete deixa 83 presos em uma mina

Oitenta e três trabalhadores ficaram presos dentro de uma mina de ouro após um deslizamento de terra em uma área de mineração no Tibete nesta sexta-feira, segundo vários meios de comunicação estatais da China.

EQUIPE AE, Agência Estado

29 de março de 2013 | 13h25

O deslizamento ocorreu por volta das 6h (horário local) no condado de Maizhokunggar, em Lhasa, capital regional, soterrando trabalhadores de uma subsidiária da empresa China National Gold Group Corp, conforme a agência de notícias estatal chinesa Xinhua. A televisão central chinesa informou que o deslizamento ocorreu em uma área de cerca de 4 quilômetros quadrados, citando uma autoridade local.

Ambas as reportagens disseram que o deslizamento havia sido provocado por um "desastre natural", mas não deram mais detalhes. Não ficou claro por que as primeiras informações do deslizamento vieram horas depois do acidente. Tanto a agência quanto a rede de TV informaram que equipes de resgate trabalhavam no local na noite de sexta-feira.

Autoridades do condado confirmaram, por telefone, o deslizamento, mas não tinham mais informações sobre o acidente. Contatada por telefone, a companhia onde trabalhavam os mineiros não atendeu.

Médicos do hospital do condado disseram que haviam sido avisados para se preparar para receber sobreviventes, mas até o momento nenhum havia chegado. "Recebemos ordens para fazer

todos os esforços para receber os feridos", disse uma médica do setor de emergência do hospital, que deu apenas seu sobrenome, Ge. Segundo ela, o hospital transferiu alguns dos pacientes para outras instalações para aumentar o número de camas disponíveis e todos os 16 médicos da instituição estavam trabalhando. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Tibetedeslizamentomina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.