EFE/Feature China
EFE/Feature China

Deslizamentos de terra deixam ao menos 11 mortos e 34 desaparecidos na China

Testemunhas relataram que um deles durou quase cinco minutos, com 'pedras e escombros enormes caindo do topo da montanha'

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de julho de 2019 | 05h56

PEQUIM - Pelo menos 11 pessoas morreram e outras 34 estão desaparecidas em razão de deslizamentos de terra na Província de Guizhou, região central da China, que aconteceram às 21h20 (10h20 em Brasília) de terça-feira, 23. Um desmoronamento em um bairro da cidade de Liupanshui, onde viviam mais de 50 pessoas, soterrou 21 casas.

Outras 11 pessoas foram resgatadas até agora por equipes locais, que enviaram 560 soldados para a região em busca de mais sobreviventes, segundo a emissora estatal CCTV. Testemunhas relatam que a avalanche durou quase cinco minutos, com "pedras e escombros enormes caindo do topo da montanha".

O Ministério da Administração de Emergência da China ativou imediatamente uma resposta de emergência ao desastre. Anunciou, também, que intensificará as tarefas de supervisão geológica e meteorológica para prevenir outros deslizamentos de terra e garantir a segurança dos socorristas.

Horas antes, por volta das 16h (5h em Brasília), um deslizamento de terra já havia atingido obras em uma aldeia do condado de Hezhang, também na Província de Guizhou, deixando um morto e outros seis desaparecidos. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
China [Ásia]deslizamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.