Luis Guillen/Presidential Palace/Handout via Reuters
Luis Guillen/Presidential Palace/Handout via Reuters

Deslizamento em cidade peruana destrói cemitério e arrasta 2 mil corpos

Prefeitura do distrito de El Porvenir, na cidade de Trujillo, estimou que 4 mil dos 6 mil corpos enterrados no cemitério de Mampuesto não foram atingidos; em todo o país, aos menos 97 pessoas morreram em razão das chuvas e inundações 

O Estado de S.Paulo

30 de março de 2017 | 12h58

LIMA - Cerca de 2 mil corpos do cemitério de Mampuesto, na cidade peruana de Trujillo, foram arrastados pelos deslizamentos que castigaram a cidade na semana passada, informaram as autoridades regionais.

"Calcula-se que no local estavam enterrados pouco mas de 6 mil mortos. Após os deslizamentos teriam ficado 4 mil", declarou o prefeito do distrito de El Porvenir, Paul Rodríguez, ao jornal "El Comercio".

O prefeito estimou que a enchente na represa de San Ildefonso, que provocou nove deslizamentos, passou pelo cemitério e arrastou cerca de 2 mil corpos, uma vez que algumas ossadas foram encontradas no centro da cidade de Trujillo.

O governador regional Luis Valdez anunciou que os restos que permanecem no local serão realocados no cemitério Jardins da Paz, enquanto o prefeito acrescentou que suspenderá a licença de funcionamento do recinto de Mampuesto.

Rodríguez disse ainda que é necessário fazer uma limpeza no terreno porque, caso contrário, a população estará exposta a contrair doenças.

As chuvas e inundações já deixaram 13 mortos na região de La Libertad, cuja capital é Trujillo, além de 7.744 afetados e 1.344 casas destruídas. Em todo o país, a quantidade de mortos chega a 97 e os afetados a 124.161. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
PeruLimaDeslizamentoChuva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.