Deslizamentos na China deixam mais 60 desaparecidos

Além da província de Gansu, agora uma cidade em Yunnan, perto de Mianmar, foi atingida.

BBC Brasil, BBC

18 de agosto de 2010 | 05h36

Mais de 60 pessoas estão desaparecidas depois que um deslizamento provocado por uma série de fortes chuvas atingiu uma cidade no sudoeste da China.

Autoridades afirmam que na cidade de Puladi, na província de Yunnan, na fronteira com Mianmar, pessoas ficaram presas sob suas casas, quando dormiam.

Deslizamentos e enchentes mataram mais de 1,5 mil pessoas na China em agosto.

No condado de Zhouqu, na província de Gansu, cerca de 500 pessoas estão desaparecidas devido a deslizamentos. Mais de 1,2 mil mortos foram confirmados no desastre, ocorrido no começo do mês.

Mais de 305 milhões de pessoas na China foram afetadas pelas enchentes, com danos superando US$ 1,7 bilhões, segundo a imprensa estatal chinesa.

Estradas, telecomunicações e linhas de transmissão de energia foram afetadas em Puladi. A cidade foi invadida por lama.

Equipes de resgate estão se dirigindo a uma região remota da cidade, perto das montanhas. Segundo a agência de notícias chinesa Xinha, os deslizamentos destruíram uma ponte e provocaram um aumento no volume de água do rio Nujiang.

Segundo a agência de emergências da província de Yunnan, o nível do rio subiu seis metros.

Algumas fontes na vila de Litoudi, a 10 quilômetros de Puladi, afirmam que a região também foi fortemente afetada.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.