Deslocados por conflitos no Quirguistão chegam a 400 mil, diz ONU

Cerca de 300 mil ainda se encontram no país, enquanto 100 mil já cruzaram a fronteira do Usbequistão

AP e Efe

17 de junho de 2010 | 08h41

OSH - O escritório da ONU para questões humanitárias disse nesta quinta-feira que o número de pessoas deslocadas pelos conflitos no Quirguistão chegaram a 400.000.

 

A porta-voz Elisabeth Byrs disse que o número estimado de pessoas que deixaram seus lares mas ainda estão dentro do Quirguistão é de 300 mil.Ela disse que agora há também cerca de 100 mil refugiados no Usbequistão. As últimas estimativas oficiais de refugiados que fugiram para o país era de 75 mil pessoas. Nenhum número sobre os deslocados internos foi divulgado.

 

Milhares de pessoas da etnia usbeque continuam temerosos de retornar aos seus lares dos locais de fronteira e estão aguardando por sua chance de deixar o país em direção a campos no lado usbeque.

 

Cidade sob controle

 

O vice-presidente do Governo provisório do Quirguistão, Azimbek Beknazarov, declarou nesta quinta-feira que as autoridades retomaram o controle de Osh, cidade no sul do país, onde na sexta-feira passada explodiram confrontos étnicos que causaram pelo menos 191 mortes, segundo números oficiais.

 

"A cidade começa a trabalhar", disse Beknazarov em entrevista coletiva na qual, no entanto, admitiu que na quarta-feira à noite houve alguns tiroteios nos subúrbios da cidade, informou desde Biskek a agência oficial russa "RIA Novosti".

 

O vice-presidente destacou que o Governo provisório conta com forças suficientes para controlar a situação.

 

"Ismail Isakov (ministro da Defesa interino e delegado especial do Governo para a zona sul do país) disse que não será necessário enviar mais soldados", disse Beknazarov.

 

Há apenas cinco dias, a presidente interina do Quirguistão, Rosa Otunbayeva, tinha pedido à Rússia o envio urgente de forças de paz para dar fim aos confrontos.

 

No entanto, o governo russo respondeu que considerava o conflito um "assunto interno" do Quirguistão, embora tenha se mostrado aberto ao estudo da solicitação pela Organização do Tratado de Segurança Coletiva.

 

O Quirguistão, com uma superfície de quase 200 mil quilômetros quadrados, tem uma população de 5,3 milhões de habitantes, dos quais cerca de 14% são usbeques, que residem principalmente no sudoeste do país, região atingida pela onda de violência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.