Desmond Tutu pede a Obama que seja 'líder da paz'

O arcebispo aposentado Desmond Tutu saudou o presidente Barack Obama com um "bem-vindo à casa", continente onde o pai do presidente nasceu, e pediu a Obama que seja um líder da paz, especialmente no Oriente Médio, o que deixaria todos os africanos orgulhosos.

EQUIPE AE, Agência Estado

30 Junho 2013 | 18h09

Obama visitou a Fundação HIV de Desmond Tutu, um programa complementar de escolar em uma comunidade onde muitos jovens foram infectados com Aids. Obama elogiou Desmond, também prêmio Nobel da Paz, que ajudou a colocar fim no apartheid na África do Sul, "como um lutador inflexível pela justiça e dignidade humana".

Desmond então falou da reeleição de Obama como primeiro presidente americano-africano. "Você não sabe o que fez por nossa psique, você venceu e nós vencemos."

"Seu sucesso é nosso sucesso. Seu fracasso, goste ou não, é nosso fracasso", acrescentou o arcebispo. "Queremos que você seja conhecido por ter trazido a paz para o mundo, especialmente por ter colocado fim na angustia em todo o Oriente Médio", afirmou Tutu.

"Rezamos para que você seja conhecido por ter levado a paz para todos os lugares onde existe discórdia. Por trazido paz e não a necessidade de um centro de detenção na Baia de Guantánamo", em Cuba, onde estão presos dezenas de suspeitos de terrorismo pelos EUA.

Na visita diplomática cheia de formalidade, o arcebispo anglicano de 81 anos falou lentamente e com tanta emoção que muitos que trabalham no centro ou na Casa Branca choraram. "Temos orgulho de você. Você pertence a nós", concluiu Desmond.

Obama deve ter apreciado essas palavras no momento em que vem sendo muito criticado em casa. O presidente dos EUA se levantou e abraçou Desmond com o click das câmeras como único som de pano de fundo.

Mais conteúdo sobre:
África do SulObamaDesmond Tutu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.