Kevin Lamarcque/Reuters
Kevin Lamarcque/Reuters

Desregulamentação ambiental de Trump ameaça acordo de Paris,diz especialista

Como os EUA poderão a partir de agora pedir para outras nações com problemas ecológicos, como China e Índia, para adotarem cuidados mais amplos ao meio ambiente, questiona professor do MIT

Ricardo Leopoldo CORRESPONDENTE / NOVA YORK, O Estado de S.Paulo

28 de março de 2017 | 19h45

A adoção de atos de desregulamentação ambiental pelo presidente dos EUA, Donald Trump, "é um sério risco para o fim, na prática, do Acordo de Paris", comentou ao Broadcast o professor Christopher Knittel, diretor do Centro de Pesquisa para Políticas Ambientais e de Energia do Massachusetts Institute of Technology. 

"O cumprimento dos compromissos relativos ao Acordo de Paris pelos países signatários é voluntário. Contudo, como os EUA poderão a partir de agora pedir para outras nações com problemas ecológicos, como China e Índia, para adotarem cuidados mais amplos ao meio ambiente?", comentou Knittel. 

"Os EUA sinalizam agora para o mundo que não dedicam mais a devida atenção para aquecimento global", destacou o professor do MIT. "Com o fim de regulações e medidas de proteção que levaram tanto tempo para ser adotadas, a economia mundial será afetada no longo prazo, com o aumento do número de enchentes e elevação da temperatura média no ano."

Para o professor Christopher Knittel, no curto prazo os impactos do decreto assinado hoje por Trump trarão poucos efeitos à economia americana. "Muitas empresas já funcionam com energia mais eficiente e tornaram-se mais produtivas com redução de custos de produção, o que não permitirá uma volta para o passado de menor produtividade", apontou. "Além disso, muitos Estados já adotaram regulações específicas que tratam do meio ambiente de forma mais avançada e moderna para suas comunidades e também para o setor corporativo", apontou. 

O acadêmico apontou que o presidente Donald Trump desrespeita a população e a comunidade científica ao adotar medidas que terão efeitos ecológicos negativos, com aumento de problemas de saúde da população americana. "Não há dúvida de que a partir de agora deve aumentar o ritmo do aquecimento global o que vai elevar também os estudos de pesquisadores nesta área pelo planeta." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.