Destino de Snowden deve ser Caracas, diz repórter

O ex-agente de inteligência americano Edward Snowden, responsável por denunciar os programas secretos de espionagem telefônica e digital dos EUA, deve ir mesmo para a Venezuela - onde, sob asilo, tentará escapar das acusações judiciais contra ele em seu país de origem. A afirmação foi feita à agência Reuters por Glenn Greenwald, jornalista americano que vive no Rio e foi o primeiro a divulgar as informações sobre o programa de espionagem de Washington.

O Estado de S.Paulo

11 de julho de 2013 | 02h05

De acordo com a Reuters, Greenwald fez declaração imediatamente depois de conversar com Snowden por meio de um chat na internet, na terça-feira. Greenwald disse que, dos três países latino-americanos que já ofereceram asilo a Snowden, a Venezuela é o que tem mais condições de garantir sua segurança. O ex-agente também recebeu oferta de asilo de Bolívia e Nicarágua.

Snowden está refugiado há vários dias na área de trânsito de um aeroporto em Moscou, e os EUA pressionam governos para que não concedam asilo a ele. Washington quer que Snowden responda judicialmente às acusações de pôr em risco a segurança do seu país. A opção de Snowden por Caracas, segundo Greenwald, deve-se ao fato de a Venezuela ser um país "maior, mais forte, mais rico e com mais influência em temas internacionais". / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.