(AP Photo/Robert F. Bukaty, File
(AP Photo/Robert F. Bukaty, File

Destroier mais caro da Marinha americana é rebocado no Panamá

O porta-voz do comando da Terceira Frota, Ryan Perry, disse que a embarcação será levada a San Diego, na Califórnia, para reparos

O Estado de S.Paulo

23 de novembro de 2016 | 14h10

CANAL DO PANAMÁ - O destroier mais caro construído pela Marinha americana sofreu um problema mecânica no Canal do Panamá na noite de terça-feira, 22, e teve de ser rebocado. O porta-voz do comando da Terceira Frota, Ryan Perry, disse que a embarcação será levada a San Diego, na Califórnia, para reparos. 

"O calendário para o destroier continuará flexível e avaliaremos seu traslado em segurança para San Diego", disse ele. 

Segundo a USNI News, uma publicação do Instituto Naval Americano, o navio perdeu propulsão ao passar pelo porto. O navio de 300 metros de comprimento tem um formato angular para passar desapercebido por radares e é conhecido por ser a embarcação mais tecnológica construída pela marinha americana. Ele pode viajar com uma velocidade de 63 milhas náuticas. 

Ao custo de US$ 4,4 bilhões, o navio de guerra foi construído num estaleiro em Maryland, na costa leste americana. É o primeiro navio de guerra construído no local em 25 anos. 

A Bath Iron Works, responsável pelo projeto, não comentou os problemas na embarcação. /AP

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.