Desvalorização da moeda causa violência no Irã

Polícia fecha casas de câmbio e entra em confronto com manifestantes em Teerã

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

04 de outubro de 2012 | 03h02

Choques foram registrados ontem entre a polícia e doleiros no centro de Teerã depois que forças de segurança fecharam vários locais onde os cambistas operavam um mercado paralelo de câmbio. Foi a primeira ação violenta contra o mercado paralelo da capital iraniana desde que o rial, que gradativamente vinha perdendo valor, sofreu uma queda drástica na semana passada.

A moeda iraniana registrou uma queda recorde, perdendo 40% do seu valor frente ao dólar. Para os economistas, a queda é reflexo das dificuldades econômicas do Irã provocadas, em parte, pelas sanções impostas pelo Ocidente em razão do programa nuclear do país. Não se sabe se houve feridos ou prisões nos confrontos de ontem.

Os choques ocorreram um dia depois de o presidente Mahmoud Ahmadinejad, em cadeia nacional, pedir aos cidadãos para não trocarem suas reservas de rial por outras moedas, sugerindo que o problema foi causado por especuladores.

O presidente também alertou que "um bando de 22 pessoas" com poder para manipular as taxas de câmbio pode ser preso e acusou os EUA e "aliados domésticos" não especificados de travarem uma guerra psicológica contra o país.

Repressão. Quando os choques começaram, na quarta-feira, comerciantes de roupas e joias fecharam suas lojas em sinal de protesto. A agência de notícias Mehr informou que o centro comercial de Teerã foi fechado por "motivos de segurança".

Membros do Parlamento e clérigos muçulmanos xiitas vinham pedindo ao governo para pôr fim às atividades do mercado paralelo de câmbio, acusando os doleiros de forçar a queda do rial. Outros exigiam que o governo usasse as reservas de rial no Banco Central para comprar dólares a fim de restaurar a estabilidade da moeda do país.

Nas últimas semanas, comerciantes e cidadãos têm se reunido na Rua Manoucheri, em Teerã, para comprar moedas estrangeiras e fugir dos prejuízos de novas quedas do rial.

Nos últimos meses, alguns políticos e clérigos vêm alertando contra distúrbios sociais. A desvalorização da moeda significa riscos econômicos para o Irã, incluindo a possibilidade de um forte salto da inflação, que já é alta. Uma percepção cada vez mais forte da crise econômica também pode significar novos desafios políticos para os líderes iranianos. / NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.