Detectada gripe aviária em quatro granjas no Canadá

Quatro granjas onde um surto de gripe aviária foi descoberto em British Columbia, no Canadá, estão agora sob quarentena. Milhares de aves serão sacrificadas, disseram autoridades canadenses nesta quarta-feira. Não há relatos de que a doença tenha sido transmitida a seres humanos.

Estadão Conteúdo

03 de dezembro de 2014 | 21h50

A Agência de Inspeção de Alimentos do Canadá disse que mais duas fazendas foram colocados sob quarentena, um dia depois de anunciar essa medida para as duas primeiras granjas. Todos os quatro locais estão a uma distância de oito quilômetros, no Vale Fraser, a leste de Vancouver.

Testes para determinar o tipo exato do vírus foram conduzidos domingo depois que mortes de aves foram relatadas em uma fazenda de perus em Abbotsford e em uma granja em Chilliwack. A fazenda Abbotsford abrigava 11 mil perus que seriam abatidos para o Natal. Metade morreu de gripe aviária. A granja Chilliwack tinha 7 mil frangos e cerca de 1 mil morreram. Os números das duas outras fazendas não foram informados.

"Elas estão (sob quarentena) apenas com base em suspeitas. Os testes vão revelar se eles têm gripe ou não", afirmou Harpreet Kochhar, veterinário-chefe do Canadá. De acordo com ele, as aves se moveram entre as várias granjas. Kocchar acrescentou que a fonte da infecção ainda não é conhecida e que o foco no momento é na contenção da propagação da infecção.

As aves que restarem serão sacrificadas com dióxido de carbono, afirmou Jane Pritchard, veterinário-chefe de British Columbia. Os resultados esperados para quinta-feira devem mostrar se o vírus é da estirpe perigosa H5N1 ou outra variação, disse Perry Kendall, oficial de saúde de British Columbia.

De acordo com Kochhar, Hong Kong suspendeu a importação de aves do Fraser Valley. Ele disse que o Canadá tem estado em comunicação com os EUA, Japão e União Europeia sobre o surto. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Canadágripe aviáriaquarentena

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.