Detenção de médico suspeito de atentados é ampliada

O interrogatório de Mohammed Hannef será acompanhado por um policial britânico

Agencia Estado

04 Julho 2007 | 17h27

Um juiz australiano prolongou por 48 horas a detenção de Mohammed Hannef, o médico indiano de 27 anos detido na segunda-feira em Brisbane (Austrália). Ele é suspeito de envolvimento com os atentados fracassados no Reino Unido, segundo fontes oficiais. O primeiro-ministro australiano, John Howard, declarou nesta quarta-feira, 4, à emissora Seven Network que o interrogatório de Hannef será acompanhado por um policial britânico. O detido ainda não recebeu nenhuma acusação formal. Segundo o chefe da Polícia federal, Mick Keelty, outro médico, que estava sendo interrogado desde terça-feira por sua suposta conexão com Hannef, foi libertado nesta quarta-feira. A identidade do detido não foi revelada. Ele é funcionário do hospital Gold Coast de Brisbane, onde também trabalha Mohammed Hannef. Hannef, que trabalhou para o hospital NHS, em Cheshire, no noroeste da Inglaterra, foi detido quando tentava viajar para a Índia. O ministro de Relações Exteriores australiano, Alexander Downer, confirmou que o suspeito é indiano e, quando trabalhava no Reino Unido, conseguiu um visto de trabalhador qualificado para viajar à Austrália.

Mais conteúdo sobre:
Austrália Reino Unido atentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.