Detidos 9 acusados de atacar forças de paz no Afeganistão

Nove pessoas foram detidas hoje sob acusação de terem conexão com recentes ataques contra forças internacionais de paz e uma suposta tentativa de assassinato contra o ministro da Defesa, informaram hoje autoridades. As detenções ocorreram em meio a notícias de novas tensões minando a frágil estabilidade do país.Cinco pessoas foram detidas num bairro oriental de Cabul, de onde dois mísseis foram disparados no domingo contra uma base dos soldados de paz, disse o general Din Muhammad Jurat, um oficial do Ministério do Interior. Ele não deu mais detalhes. Ninguém ficou ferido no ataque contra o complexo abrigando tropas alemãs e dinamarquesas.Mas soldados de paz acreditam que o ataque faz parte de uma campanha para desacreditar o governo do primeiro-ministro interino Hamid Karzai antes da realização da Loya Jirga, ou grande conselho, que em junho elegerá um novo governo.Forças de segurança na cidade oriental de Jalalabad prenderam quatro suspeitos de terem promovido na segunda-feira um atentado a bomba contra o ministro da Defesa, Mohammed Fahim, quando ele chegava à cidade para discutir, entre outras coisas, uma campanha de erradicação das plantações de papoula, base da produção de heroína, disse Mir Jan, uma autoridade do Ministério da Defesa.Fahim não foi ferido na explosão que ocorreu no meio de uma multidão que o saudava. Cinco pessoas morreram e 52 ficaram feridas, afirmou Jan.Também foram noticiados combates nos últimos dias em Nimroz, uma remota província ocidental na fronteira com o Irã. Funcionários da ONU disseram que os confrontos são fruto de tensões entre senhores de guerra locais e o governo central.A agência de notícias AIP, baseada no Paquistão, informou hoje que forças opostas ao governador apontado por Cabul, Abdul Karim Brohi, capturaram áreas ao longo de uma importante rota comercial. Brohi enviou um reforço de 500 homens para fortalecer sua posição no local, segundo a agência.Também hoje, morreu um soldado britânico ferido acidentalmente na cabeça por um disparo na terça-feira em Cabul. "Apesar de o incidente ainda estar sendo investigado, consideramos ter-se tratado de um trágico acidente, e não resultado de fogo hostil" disse num comunicado a força de segurança liderada pelos britânicos. O soldado teria sido atingido por um disparo acidental de um outro militar britânico. Foi a primeira morte envolvendo um soldado da Grã-Bretanha na atual campanha no Afeganistão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.