Detidos na França 165 opositores iranianos

Unidades especiais da polícia francesa fortemente armadas e com os rostos encobertos deram buscas nesta terça-feira nos escritórios de um grupo opositor iraniano acusado de ter laços com o terrorismo e detiveram 165 suspeitos, além de confiscarem US$ 1,3 milhão em poder do grupo.Por ordem de um juiz antiterrorista, cerca de 1.300 agentes saíram a campo e derrubaram as portas dos escritórios dos Mujahedins do Povo (Mujahedin Khalq) do Irã, em uma ampla operação efetuada na madrugada desta terça-feira nas zonas norte e oeste de Paris.A polícia confiscou grande quantidade de computadores e outros equipamentosde de informática e de radiotransmissão de alta teconologia, disse um dos investigadores que não quis se identificar.A emissora de rádio France Info disse que Maryam Rajavi, esposa do líder mujahedin Massoud Rajavi, está entre os detidos, mas a informação não pôde ser confirmada.Os escritórios invadidos pela polícia parisiense pertencem ao braço político do grupo, declarado organização terrorista pela União Européia em maio de 2002. Os EUA também consideram o grupo uma organização terrorista.Os Mujahedins também têm forças no Iraque, o Exército Nacional de Libertação do Irã, que combateu o regime teocrático de Teerã. Em maio, no entanto, o grupo começou a entregar suas armas às forças de ocupação americanas, em obediência a um pacto de rendição.Unidades especiais da polícia francesa fortemente armadas e com os rostos encobertos deram buscas nesta terça-feira nos escritórios de um grupo opositor iraniano acusado de ter laços com o terrorismo e detiveram 165 suspeitos, além de confiscarem US$ 1,3 milhão em poder do grupo.Por ordem de um juiz antiterrorista, cerca de 1.300 agentes saíram a campo e derrubaram as portas dos escritórios dos Mujahedins do Povo (Mujahedin Khalq) do Irã, em uma ampla operação efetuada na madrugada desta terça-feira nas zonas norte e oeste de Paris.A polícia confiscou grande quantidade de computadores e outros equipamentosde de informática e de radiotransmissão de alta teconologia, disse um dos investigadores que não quis se identificar. A emissora de rádio France Info disse que Maryam Rajavi, esposa do líder mujahedin Massoud Rajavi, está entre os detidos, mas a informação não pôde ser confirmada.Os escritórios invadidos pela polícia parisiense pertencem ao braço político do grupo, declarado organização terrorista pela União Européia em maio de 2002. Os EUA também consideram o grupo uma organização terrorista.Os Mujahedins também têm forças no Iraque, o Exército Nacional de Libertação do Irã, que combateu o regime teocrático de Teerã. Em maio, no entanto, o grupo começou a entregar suas armas às forças de ocupação americanas, em obediência a um pacto de rendição.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.