Dez exemplos da situação pós-atentados em Nova York

Três meses depois dos atentados terroristas de 11 de setembro, Nova York amanheceu nesta terça-feira mais pobre e mais triste, mas também disposta a seguir adiante. A cidade onde se localizavam as torres gêmeas mudou notavelmente depois dos ataques, o que pode ser comprovado nos dez exemplos que se seguem:1) A Estátua da Liberdade é um dos potenciais alvos dos terroristas e, desde 11 de setembro, está fechada ao público, o mesmo ocorrendo com o Museu da Imigração, em Ellis Island. Caminhões de areia fecham a área da ONU, enquanto militares da Guarda Nacional patrulham estações e aeroportos.2) Das 6h às 10h é proibido entrar em Manhattan, se apenas uma pessoa estiver a bordo de um automóvel.3) Bolsas e mochilas são revistadas na entrada de alguns cinemas e teatros da Broadway, em Madison Square Garden e na Disney Ice. Para entrar no Yankee Stadium, os fãs de beisebol devem passar por detetores de metais.4) Três meses depois dos atentados, seguem valendo algumas medidas de segurança adotadas em edifícios de escritórios, tal como a exigência de mostrar documento de identidade; o mesmo vale para advogados que entram em tribunais.5) Quatro estações de metrô, todas na área do atentado, continuam fechadas.6) Em Nova York, no entanto, come-se muito bem e gasta-se pouco, geralmente 15% menos do que no dia do atentado.7) O primeiro Natal depois de 11 de setembro mostra o Rockefeller Center iluminado com as cores da bandeira americana. Nos supermercados, sumiram das prateleiras decorações com as cores vermelho, branco e azul, da bandeira do país. Quase todas as lojas apelam aos consumidores com decorações patrióticas.8) Nas escolas públicas de Nova York, as classes começam obrigatoriamente com o Pledge of Allegiance, a promessa de fidelidade à bandeira.9) A depressão constitui um novo perigo para os norte-americanos, e um estudo da Universidade de Columbia descobriu que, nos últimos três meses, o consumo de álcool e narcóticos subiu consideravelmente. O fato é comum em todo o país depois dos atentados, mas as autoridades de Nova York definiram como "substancial" o aumento nesta cidade.10) A delinqüência também aumentou. Isto porque o compromisso da polícia com a luta antiterrorista deixou aberto o caminho para a delinqüência comum. Esta semana, pela terceira vez consecutiva, os homicídios em Nova York aumentaram. Segundo cifras divulgadas nesta terça, o aumento foi de 38% em relação ao mesmo período do ano passado.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.