Dez mil pessoas se manifestam contra o Governo na Malásia

Forças do Governo vigiarão as manifestações para intervir perante qualquer distúrbio

EFE

06 de julho de 2008 | 05h24

Cerca de 10.000 pessoas se manifestaram neste domingo em Kuala Lumpur contra o Governo e a alta de 41,6% dos preços dos combustíveis aplicada em maio, vigiados pelas forças da ordem prontas para intervir perante qualquer distúrbio. Os convocantes do protesto, os partidos da oposição e grupos civis, organizaram atos e comícios no estado Kalana Jaya até a meia-noite e esperam a presença de dezenas de milhares de pessoas. O mais destacado opositor do país, Anwar Ibrahim, do Partido Justicialista, deve ir ao estádio esta noite para pronunciar um discurso no qual falará sobre as políticas errôneas do Governo, segundo sua opinião, e a corrupção. Os corpos de segurança receberam a ordem do ministro do Interior da Malásia, Syed Hamid Albar, de utilizar "qualquer ação que seja necessária para proteger a paz e a ordem públicas". O panorama político da Malásia atravessa um período de instabilidade e crispação desde o mal resultado obtido nas eleições parlamentares do março passado pela aliança de 14 partidos que governa o país desde a independência, em 1957.

Tudo o que sabemos sobre:
MalásiaKuala Lumpur

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.