Dez soldados paquistaneses são mortos em combate

Depois de receber informações da inteligência dos Estados Unidos, soldados paquistaneses atacaram hoje um esconderijo da Al-Qaeda nas proximidades da fronteira afegã, provocando uma batalha que culminou com dez soldados do Paquistão e dois supostos membros da rede terrorista mortos. Um menino estrangeiro de 15 anos foi capturado depois da batalha, que teve início na noite de terça-feira nas proximidades da cidade de Wana. Mas a maior parte dos combatentes, provavelmente chechenos, conseguiu escapar.Helicópteros paquistaneses sobrevoaram a região, a aproximadamente 300 km de Islamabad, durante todo o dia de hoje, em busca dos fugitivos da Al-Qaeda. O Paquistão enviou centenas de militares para caçar os fugitivos, responsáveis pelas primeiras mortes em combate do Exército paquistanês na guerra contra o terrorismo. Oficiais estimam que entre 40 e 45 combatentes da rede terrorista ainda estão escondidos nas redondezas, depois da luta.Os membros da Al-Qaeda seriam chechenos que fugiram para a região de Wana, que está sob controle de líderes tribais simpáticos ao Taleban, depois da Operação Anaconda, promovida em março por militares americanos no sudeste do Afeganistão.AçõesForças paquistanesas têm promovido ações na fronteira com as províncias afegãs de Paktia e Paktika, desde que o presidente general Pervez Musharraf ordenou, no fim do ano passado, que elas tentassem interceptar membros da Al-Qaeda e do Taleban fugindo de ataques dos EUA. Forças especiais americanas têm ajudado os militares paquistaneses na região, mas moradores disseram não ter visto soldados dos EUA durante o assalto."Num esforço para capturar elementos da Al-Qaeda, usando força mínima devido a preocupações com a segurança da população civil, 10 agentes foram mortos?, afirma um comunicado das Forças Armadas do Paquistão. "Terroristas estrangeiros da Al-Qaeda também foram mortos", diz.O comunicado não entrou em detalhes. Mas segundo uma autoridade do Ministério do Interior, que pediu para não ser identificada, soldados e paramilitares fronteiriços paquistaneses foram enviados na noite de terça-feira para a casa de um líder tribal, a 20 km de Wana, depois que a inteligência dos EUA comunicou que membros da Al-Qaeda estavam escondidos no local.Um oficial paquistanês exigiu que os homens se rendessem. Mas os chechenos abriram fogo com armas semi-automáticas e lançadores de granada, provocando uma batalha que prosseguiu até pouco antes do amanhecer. Alguns soldados foram feridos e levados de helicóptero para hospitais próximos. As tropas encontraram na casa uniformes, um morteiro e literatura da Al-Qaeda. Não houve informações sobre o que ocorreu com o idoso líder tribal.Segundo moradores, autoridades tribais pediram aos militares para deixá-los tentar convencer os combatentes da Al-Qaeda a se entregarem. Um oficial teria reagido: "Isto não é Afeganistão, é Paquistão".A maior parte dos líderes tribais é de conservadores religiosos que se sentem obrigados a abrigar colegas muçulmanos e são intransigentes na defesa de sua autonomia, que remonta a acordos acertados com os britânicos quando eles governavam a área, como parte da Índia Britânica. Moradores relatam que a situação na região é tensa e que os soldados prosseguem com buscas em diversas casas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.