REUTERS/Taylan Yildirim/Dogan News Agency
REUTERS/Taylan Yildirim/Dogan News Agency

Dezenas de corpos de imigrantes são encontrados na Turquia

Ao menos 27 pessoas, incluindo crianças, morreram quando o bote em que tentavam cruzar o mar Egeu em direção a ilha grega de Lesbos tombou em razão das fortes rajadas de vento e das ondas

O Estado de S. Paulo

05 Janeiro 2016 | 14h42

ISTAMBUL (Reuters) - Os corpos de 27 imigrantes, incluindo pelo menos três crianças, foram localizados nesta terça-feira, 5, em dois pontos distintos na costa turca do mar Egeu após um barco aparentemente naufragar durante tentativa de alcançar a ilha grega de Lesbos, disseram autoridades da Turquia.

Dezessete dos corpos foram encontrados no distrito de Ayvalik, enquanto dez outros foram encontrados no distrito de Dikili, disse uma autoridade turca. Segundo os testemunhos recolhidos, um bote inflável carregado de refugiados tinha saído da Turquia durante a madrugada, mas tombou pouco depois devido às rajadas de vento e às ondas.

As patrulhas litorâneas turcas conseguiram resgatar oito sobreviventes, dos quais alguns tinham conseguido subir próximo a um quebra-mar.

Mais de 500 mil refugiados e imigrantes entraram na Grécia pela Turquia através das ilhas gregas no ano passado, e depois viajaram para países do centro e do norte da Europa, como parte da maior crise migratória no continente europeu em décadas.

A guarda costeira e as forças de segurança também resgataram 12 pessoas no mar e em pedras na costa de Ayvalik nesta terça. Uma autoridade da guarda costeira disse que três barcos e um helicóptero participavam da operação de busca aos sobreviventes.

A Turquia abriga cerca de 2,2 milhões de sírios, a 45 mil afegãos, 100 mil iraquianos e 14 mil iranianos, bem como solicitantes de asilo, bem como refugiados.

Lesbos, localizada a menos de 10 quilômetros da costa da Turquia, tem um sido um portão de entrada para milhares de imigrantes que buscam chegar à União Europeia, muitos deles fugindo da guerra civil na Síria. / REUTERS e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.