Dezenas de milhares mantêm protestos na Bolívia

Dezenas de milhares de bolivianos acorreram às ruas da capital, La Paz, para exigir a renúncia do presidente Gonzalo Sánchez de Lozada, numa das Maiores manifestações contra o governo em semanas de embates violentos nas ruas contra a exportação de gás para a América do Norte. Soldados protegem o palácio presidencial de colunas de fazendeiros, operários, mineiros e índios que chegam a La Paz, alguns portanto bananas de dinamite e outros, bastões improvisados.As manifestações desta quinta-feira indicam uma nova escalada nos apuros do presidente. Na quarta-feira, Sánchez de Lozada tentou desarmar a crise com um pronunciamento nacional via televisão em que propôs um referendo sobre a exportação de gás. Ao que tudo indica, não foi o bastante. Evo Morales, um importante líder da oposição e representante dos plantadores de coca, disse que a única escolha do presidente é renunciar. ?Muitos já morreram?, disse. Segundo grupos de defesa de direitos humanos, mais de 60 pessoas já morreram, a maioria nas mãos da polícia ou dos militares. Os manifestantes desta quinta-feira gritavam ?Goni assassino!?, chamando o presidente por seu apelido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.