Dezenas de milhares protestam contra militares no Egito

Dezenas de milhares de manifestantes, gritando "Fora!, Fora!", se reúnem na Praça Tahrir, no Cairo, no que deve ser um grande protesto contra o conselho militar que comanda o Egito. O protesto por democracia e pelo fim do regime militar no país é chamado pelos organizadores de "protesto da última chance".

AE, Agência Estado

25 de novembro de 2011 | 09h48

Na quinta-feira, o comando militar se desculpou pela violência que matou quase 40 manifestantes, em confrontos nas ruas próximas da Praça Tahrir com as forças de segurança nos últimos dias. Os militares também disseram que as eleições parlamentares marcadas para começar na segunda-feira seguirão como planejado.

O protesto deve atingir seu pico após as preces semanais muçulmanas. Um repórter da Associated Press viu que o líder pelas reformas e Nobel da Paz Mohamed El-Baradei estava na praça e queria se unir às preces no local.

O xeque Mazhar Shahin, que lidera dezenas de milhares de fiéis rumo à praça, pediu que a junta militar entregue o poder a um governo de salvação nacional. O líder religioso afirmou que as pessoas devem permanecer na praça até que suas demandas sejam atendidas. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Egitopolíticaprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.