Dezenas de pessoas são presas em protesto gay na Rússia

A polícia russa deteve vários ativistas pelos direitos dos gays e nacionalistas russos neste sábado, durante uma manifestação que foi considerada ilegal, de acordo com a lei conta a "propaganda gay". Autoridades de São Petersburgo consideraram que o evento, que aconteceu num local designado para manifestações públicas, violou a lei, que proíbe demonstrações públicas de homossexualismo, assim como falar sobre o assunto com crianças.

AE, Agência Estado

29 Junho 2013 | 17h13

Cerca de 200 nacionalistas também participaram da manifestação, gritando palavras de ordem como "a sodomia não vai passar". Eles jogavam ovos e pedras nos ativistas gays, que eram cerca de 40.

A agência de notícias Itar-Tass citou um policial não identificado dizendo que a polícia deteve dezenas de pessoas, dentre elas oito nacionalistas. Segundo a fonte, as autoridades proibiram a manifestação antecipadamente porque ela viola a lei contra a "propaganda gay", embora o uso do espaço não exija aprovação prévia das autoridades da cidade, ao contrário do que acontece em outros locais.

O Parlamento russo aprovou a lei que proíbe "propaganda gay" no início deste mês. São Petersburgo foi uma das várias cidades a aprovar leis semelhantes em nível local antes mesmo do Parlamento. A lei federal impõe multas pesadas para quem fornecer informações sobre as comunidades lésbica, gay, bissexual e de transgêneros para menores ou para pessoas que participarem de manifestações de orgulho gay. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RÚSSIAGAYSVIOLÊNCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.