Fernando Vergara/AP
Fernando Vergara/AP

Dicionário de 'colombianismos' busca reviver memória linguística do país

Publicação deve ser concluída no fim de 2017 e trará expressões que eram usadas há muitos anos

O Estado de S.Paulo

06 Dezembro 2016 | 12h43

BOGOTÁ - Com palavras como "zumbambico, novelero, sirirí, mijo e desguarambilado", que farão parte do Dicionário de Colombianismos, a ser concluído no fim de 2017, o Instituto Caro y Cuervo (ICC) busca reviver a memória linguística do país com expressões que eram usadas há muitos anos.

"O bonito desse dicionário é que cada pessoa pode encontrar alguma coisa que lhe venha à memória, as lembranças de outra época, as expressões dos pais, das mães e dos avós para entoar canções ou expressar seu amor", afirmou a diretora do ICC, Carmen Millán.

Uma das palavras que lembra a antiga linguagem colombiana é a palavra "mijo", que "é o vocativo afetuoso que costumam usar entre si o marido e a mulher", uma palavra que como Carmen afirma, "já não se usa, mas com a qual os avós expressavam seu amor".

O Dicionário de Colombianismos nasceu da ideia de expandir o glossário de americanismos, cujo projeto foi promovido pela Real Academia da Língua Espanhola, visando compilar as palavras usadas em mais países latino-americanos. A pesquisa permitiu a publicação dos dicionários de argentinismos, uruguaismos e colombianismos em 1983.

O novo Dicionário de Colombianismos terá cerca de 10 mil itens e ficará pronto no fim de 2017, incluindo eufemismos, onomatopeias e expressões autóctones do país. "As palavras que entrarão no dicionário são aquelas que não são usadas na Espanha e que se usam na Colômbia ou em países vizinhos como Venezuela, Peru e Equador", disse a linguista do ICC, Nancy Rozo.

Um dos conceitos que aparecerão no dicionário é "bola", que faz referência a uma pessoa boba. Além disso, "bola" terá explicações sobre os diferentes contextos no qual os colombianos usam a palavra, como "no dar pie con bola", "estar en bola", "parar bolas" e "correr la bola".

Para selecionar as palavras que estarão no dicionário, lexicógrafos, redatores, linguistas e colaboradores visitaram várias regiões do país e revisaram a linguagem usada pelas pessoas, em jornais, novelas, programas de televisão e livros. Produto dessas viagens são os sinônimos "agria", "amarga", "birra", "fría", "pochola", "pola" e "chela", que na Colômbia significa cerveja.

Como parte de uma campanha para que os colombianos conheçam alguns desses significados, o ICC trabalhou em duas publicações que poderão ser adquiridas gratuitamente até o dia 10 de dezembro.

A primeira tem a ver com um pacote de postais que, graças a uma aliança com a empresa dos correios nacionais, podem ser adquiridos e enviados gratuitamente a qualquer lugar do país como presente de Natal.

O segundo é uma cartilha com sopas de letras, adivinhações e fileiras que será distribuída em escolas para que os alunos aprendam, por exemplo, o que é ser um "amigovio" e não caiam na posição de pessoa apaixonada que "em silêncio leva o desejo e esperança de ter uma relação formal".

Também estão neste trabalho vocábulos como "zumbambico" (criança malcriada), "desguarambilado (desordenado, mal vestido) e "cipotudo" (algo formidável). / EFE

Mais conteúdo sobre:
Juan Manuel Santos Idioma

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.